segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Testei a Harley-Davidson Street Glide Special 2017

2017 Harley-Davidson Street Glide Special
Há muito tempo eu queria testar uma Street Glide aqui no Brasil. Tenho alguns amigos que tiveram e outros que ainda tem uma Street Glide na garage e sempre falávamos sobre os problemas com a suspensão, considerando que a motocicleta foi projetada para uso urbano, nos EUA.

Com exceção de algumas voltas no quarteirão, nunca havia rodado com esta Touring que tanto atrai os harleyros nos EUA (é o modelo mais vendido, lá) e no Brasil.

A The One Harley-Davidson proporcionou a oportunidade, permitindo que eu ficasse com um modelo 2017 para experimentar, durante este fim de semana de muito sol na República de Curitiba.

A motocicleta tinha apenas 680 km rodados e estava com todas as configurações de fábrica, pelo o que me informou o pessoal da revenda.

A Street Glide 2017 vem o mesmo motor Milwaukee-Eight 107 que motoriza a Ultra Limited 2017, que testamos semana passada. Os detalhes do motor e da transmissão são idênticos e podem ser verificados aqui.

A diferença primordial entre os dois motores é o sistema de arrefecimento líquido usado na refrigeração híbrida (ar/líquido). Enquanto na Ultra Limited é usado uma mistura de água e anti-congelante, na Street Glide é usado óleo lubrificante, o mesmo do cárter.

Corte do motor Milwaukee-Eight 107 mostrando as passagens
 de óleo (em azul) usadas na refrigeração dos cabeçotes.
A eficiência do sistema é semelhante. Mesmo que não tenha atingido temperaturas acima dos 30°C, nota-se que o nível de calor emitido pelo motor M-8 com arrefecimento a óleo é muito baixo. O nível de vibração é idêntico: bem reduzido.

A Street Glide tem muita semelhança com as Ultra, especialmente na carenagem (morcegão) e nos alforges.

Como fui para a estrada ao sair da concessionária, na parte da manhã e em direção ao oeste, tinha o sol nas minhas costas. Isto prejudicou bastante para ver as luzes indicativas no painel branco que a Street Glide Special tem.

Painel da Street Glide Special 2017
Mesmo sem o sol pelas costas, o contraste não é tão bom quanto no painel de instrumentos usado na Ultra Limited.

A manete da embreagem, apesar de ainda estar com regulagem mais alta do que eu prefiro, não atrapalhou nas manobras em baixa velocidade, como observado na Ultra Limited. Claro, o peso menor da Street Glide ajuda bastante (34,4 kg a menos).

A sensação de pilotagem é boa, mas o ruído e a ação do vento é demasiada, para o meu gosto. O parabrisa é muito baixo e mesmo com a entrada de ar partido (slipstream) aberta, o capacete recebe muito vento, especialmente acima dos 100 km/h.

O modelo 2017 tem algumas diferenças com relação às Street Glide 2016. Por exemplo:
  • Peso: 9 kg a mais.
  • Comprimento: é 2,5 cm mais curta.
  • Altura do banco: 1,2 cm mais baixa.
  • Capacidade de óleo lubrificante: 1100 ml a mais, devido ao arrefecimento.
  • Consumo: com gasolina de 91 octanas, sem adição de etanol, roda 1,3 km/l a mais que o motor 103.
A suspensão foi modifica, usando-se o mesmo sistema empregado na Ultra Limited 2017, que reproduzo:

Amortecedor do lado esquerdo, com regulagem de carga.

Amortecedor traseiro esquerdo, com manopla de regulagem, que
dispensa ferramenta.
A regulagem do amortecedor traseiro estava na posição 10 e achei que ainda sentia muito as imperfeições do solo, portanto reduzi para a posição 5 e melhorou bastante.

A Rô, minha companheira, parceira, garupa e fotógrafa oficial da equipe não quis rodar na Street Glide na estrada. O banco é muito pequeno e não tem apoio lombar (sissy bar). A Street é entregue para rodar solo!

Mas fizemos alguns trechos curtos na cidade com a Rô na garupa. Para isto regulei a suspensão para a posição 15 e ficou bem confortável. No asfalto plano!

Nos trechos com imperfeições ou em paralelepípedo (pequeno trecho da Av. Manoel Ribas, em Santa Felicidade) é um martírio. Me fez lembrar da cinta abdominal que usava na minha Honda XLX 350R, para rodar em trilhas. Você precisa de uma destas para andar com a Street Glide em pavimentos irregulares, se quiser manter todos os seus órgãos internos no lugar!

A suspensão traseira não chega no limite dos amortecedores, entretanto, mesmo com as imperfeições na pavimentação, já que o novo sistema tem um pistão mais avantajado que permite até 15% de alcance maior, no caso da Street Glide.

A suspensão dianteira tem amortecedores bem potentes, como pode ser visto nesta foto de divulgação:


Garfo telescópico Showa de dupla válvula.
Mas o pneu de perfil baixo na roda dianteira não ajuda muito na absorção das irregularidades. É pneu para ruas e estradas de primeiro mundo.

Os alforges não sofreram modificações no seu desenho ou tamanho, só no sistema de ancoragem, igual ao da Ultra.


A Street Glide Special 2017 está disponível no Brasil em 5 cores.


 Crushed Ice Pearl; Hard Candy Black Gold Flake; Charcoal Denim; Black Denim; Vivid Black.

Nos EUA há outras 5 cores disponíveis e muito bonitas, como essas duas:

2017 Street Glide Special na cor Laguna Orange
2017 Street Glide Special na cor Hard Candy Hot Red Flake
Conclusões:
  1. O motor Milwaukee-Eight com arrefecimento híbrido ar/óleo é uma beleza. Muita potência, torque, baixa vibração e baixa emissão de calor. 
  2. A transmissão é uma delícia, com as marchas bem elásticas. No plano, mesmo a quase mil metros de altitude, a sexta marcha foi bem a partir de 65 km/h, sem qualquer problema. Praticamente todas as reduções e retomadas de velocidade, na rodovia, foram feitas na sexta marcha, sem necessidade de reduzir para a quinta marcha.
  3. O banco original não absorve as imperfeições do pavimento que passaram pela suspensão, como acontece com a Ultra. A Street Glide vem equipada para rodagem solo, pois o banco da garupa é desconfortável e dá uma sensação de insegurança. Eu trocaria os dois e instalaria um sissy bar, para conforto e segurança da minha garupa.
  4. A pilotagem é muito agradável. A motocicleta é ágil e faz curvas com segurança e firmeza. Na cidade não apresenta nenhum problema nas paradas em sinais ou em esquinas, mesmo em rampa.
  5. Os freios Reflex Linked ABS funcionam extremamente bem, passando uma sensação de segurança incrível, nas frenagens.
  6. O sistema de som tem 2 alto-falantes potentes que permitem usufruir de boa música, mesmo em velocidades até 100 km/h.
  7. O parabrisa baixo gera muita turbulência acima de 100 km/h. Eu trocaria por um de 10 polegadas.
  8. Como no test-ride da Ultra, usei o GPS instalado na Street Glide e funcionou muito bem, apesar de não ter indicações sobre limite de velocidade da via ou existência de radares.

4 comentários:

  1. Gostaria de saber a diferença do painel da Street glide 2014 e a 2015 !

    ResponderExcluir
  2. Antonio, bom dia. O painel é exatamente igual nos dois modelos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Wilson. Tenho uma Fat Boy e encomendei uma Street Glide Special em busca de conforto e potência. Vendo seu depoimento fiquei um pouco reticente se esta nova moto vai me proporcinar o objetivo desejado. Normalmente viajo sozinho pois minha esposa não curte muito. Vc comenta o desempenho do conforto sempre até 100 Km/h mas como é este quesito a 120 Km/h?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acima de 100 km/h o conforto diminui bastante para o piloto, pela ineficiência do parabrisa, que provoca ruído e turbilhonamento do vento.

      Excluir