segunda-feira, 29 de agosto de 2016

I love NY


Eu sempre gostei de New York. Desde os filmes que assisti na minha adolescência, continuando pelas dezenas de vezes que visitei a cidade.

A primeira vez estará para sempre na minha lembrança: um gélida manhã de janeiro de 1967, quando meu navio atracou no cais de Brooklyn, debaixo de muita neve.

O ícone acima é internacionalmente conhecido e bem representa o sentimento que as pessoas tem sobre New York.

Foi criado por Milton Glaser, 87 anos, um dos mais famosos desenhistas gráficos dos EUA, em 1977.

Milton Glaser no seu estúdio na Rua32 Leste, onde trabalha desde 1965. 
Num artigo publicado por John Leland, publicado no New York Times deste fim de semana, me fez reviver as 4 décadas de passagens por esta cidade icônica, que tanto representa os Estados Unidos, sem mostrar realmente o que são os Estados Unidos.

No artigo, o jornalista menciona que Milton Glaser ainda está preocupado com a cidade onde nasceu e sempre viveu: "Esta cidade, disse ele, está em uma crise causada por seu próprio sucesso. Se eu tivesse de desenhar um sucessor para o logotipo do coração, explicou, gostaria de uma maior sensação de justiça an cidade, seja o que for isso."

Quando criou o logotipo icônico, "a cidade esta ficando muito sombria," diz Glaser. Segundo ele havia muitos crimes e problemas econômicos graves. As pessoas estava deixando a cidade e havia uma sensação de qua a vida lá não iria melhorar.

Sobre o logotipo, Glaser diz que o conceito foi uma reação a uma sensação de decadência da cidade. Se New York era uma bagunça que não merecia amor, isso só a tornava o tipo de lugar que um certo tipo de nova-iorquino diria, com orgulho, amar.

O logotipo é uma junção de uma palavra (I = Eu), um símbolo (o coração) e as iniciais de um lugar (NY). Acontecem, então, três atos de transformação. A pessoa tem que usar um pouco o cérebro para traduzir o logotipo, mas quando o faz é óbvio, todos entendem.

O logotipo foi esboçado numa folha de papel, dentro de um táxi. Este original está em exposição no Museu de Arte Moderna (MoMA) de New York. Milton Glaser recebeu US$2000 pelo trabalho que gera cerca de US$ 1 milhão por ano para o Estado de Nova York em taxas para o uso da marca.

Eu vi a cidade sair da quase falência e uma taxa de criminalidade elevada, para retomar sua posição de cidade mais famosa do mundo, onde as pessoas podem caminhar com segurança em qualquer hora do dia.

Talvez a população do Rio de Janeiro possa aprender algo com esta experiência, se tiverem a coragem para isto.

sábado, 27 de agosto de 2016

Harley-Davidson: como foi o Primeiro Semestre


Um dólar mais valorizado e uma dura concorrência de outras marcas levou a Harley-Davidson Motor Company a ver suas vendas sofrerem um redução em volume, no ano passado.

Mas, até agora, 2016 está se mostrando bem positivo para a centenária empresa da Milwaukee.

Ainda que a venda de motocicletas novas esteja 0,6% mais baixa do que o mesmo período de 2015, a receita na venda de veículos e peças aumentou 2,7%, contrariando as expectativas dos analistas que previam uma queda na receita.

Com o envelhecimento de sua maior base de consumidores, os famosos Baby Boomers, a H-D tem conseguido aumentar significantemente a venda para compradores não-tradicionais, incluindo jovens adultos, minorias raciais e clientes internacionais. Isto foi muito positivo para a Motor Company em 2016.

O dólar continua valorizado e tem dado uma vantagem importante para as montadoras japonesas e européias. Mesmo assim, as vendas internacionais da Harley-Davidson aumentaram 4,4%, impulsionadas por um robusto crescimento de 8,4% nos mercados da Europa, Oriente Médio e África.

No mercado doméstico (USA e Canadá), a Motor Company vem perdendo participação para seus concorrentes, devido principalmente aos expressivos descontos oferecidos nos preços. Como este mercado representa 70% das vendas da H-D, a agressividade dos competidores tem sido sentida nos números dos seus relatórios trimestrais. Ainda assim, mais das metade das motocicletas acima de 600cc, vendidas na América do Norte, tem a marca Harley-Davidson no tanque de combustível.

Projeção do crescimento da receita até o final da década

Mas o mercado teve uma redução considerável na demanda por motocicletas de grande porte. Apesar disto, a diminuição nas vendas da H-D foi muito menor que a queda geral. Isto indica que a companhia está no caminho certo.


Para aumentar o número de consumidores de seus produtos, a Motor Company tem investido muito no crescimento do motociclismo, como um esporte saudável. A Harley-Davidson Riding Academy tem treinado mais pilotos recém-incorporados ao mercado, do que qualquer outra marca ou instituição de treinamento. O número de novos pilotos, civis e militares, treinados pela H-D cresceu 25%! O objetivo é treinar 100.000 novos pilotos no mundo inteiro até o final desta década.


Com a lançamento da linha 2017 e a introdução dos motores Milwaukee Eight, a Motor Company espera ver um crescimento real nas vendas até o final do ano.

GPS: Nova atualização dos mapas do Projeto Tracksource



Mais uma atualização dos mapas do Brasil está disponível no site do Projeto Tracksource.

A versão 16.08 já pode ser baixada.

Veja aqui:http://www.tracksource.org.br/desenv/tabela_mapsets.php

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Agora é oficial: Harley-Davidson tem novo motor!

Tampa do filtro de ar do motor Milwaukee Eight 107ci
As especulações começaram a circular na Internet ainda em junho passado. A Harley-Davidson Motor Company estaria por anunciar uma nova família de motores, que iria substituir os famosos Twin Cam, lançados originalmente em 1999. O Dan Morel já apresentou algumas fotos no seu blog, em julho.

Ontem, 22 de Agosto, a Motor Company apresentou oficialmente os novos motores Milwaukee-Eight, durante a Convenção Internacional da empresa, nos Estados Unidos.

video


O nome dos novos motores, inicialmente apresentados nas versões de 107 e 114 cu.in (1753 cc e 1868 cc), prestam uma homenagem à cidade de Milwaukee (que hospeda a HDMC desde sua criação em 1903) e recebem o número Eight (oito) por ter 8 válvulas (4 por cilindro).

O Milwaukee-Eight é o nono motor V-Twin criado, desde 1914:

F-Head (1914-1929; 61ci e 74ci)
Flathead (1930-1948; 74ci e 79ci)
Knucklehead (1936-1947; 61ci e 74ci)
Panhead (1948-1965; 61ci e 74ci)
Shovelhead (1966-1984; 74ci e 80ci)
Evolution, também conhecido como Evo e Blockhead (1984-1999; 80ci)
Evolution "smal twin" (desde 1986; 54ci e 73ci)
Twin Cam (1999-2016; 88ci, 95ci, 96ci, 103ci, 110ci)
Milwaukee Eight (2017; 107ci e 114ci)

Maiores detalhes serão divulgados nos próximos dias, mas já se sabe que o 107 será instalado nos modelos 2017 da Street Glide, Street Glide Special, Road Glide, Road Glide Special, Electra Glide Ultra Classic, Road King e no Freewheeler, equipados com a versão com arrefecimento a óleo no cabeçote.

Os motores 114 farão a motorização da CVO Limited and CVO Street Glide
.

Os novos motores Milwaukee Eight sendo
apresentados nos EUA.
Ainda de acordo com as informações disponíveis, os modelos 2017 da Ultra Classic Electra Glide (FLHTCU) e CVO Breakout (FXSBSE) receberão os motores Twin-Cam 110ci (1802 cc).

A HDMC alega que os novos motores terão mais potência e torque, enquanto operam com um melhor desempenho no consumo de combustível (com gasolina sem etanol, é claro!). Além disto, os motores tem vibração menor e um volume total mais compacto, com uma melhor adaptação nos quadros das motocicletas, proporcionando uma pilotagem melhor e permitindo uma altura menor do solo, o que será uma vantagem para os pilotos que tem problemas com a altura do banco das grandes Touring.

Conforme os documentos apresentados à EPA (Environment Protection Agency), a agência federal de proteção ao meio ambiente dos EUA, os motores Milwaukee-Eight tem 92,3 HP (107ci) e 100,57 HP (114ci), respectivamente.

Atualizado em 24/8/2016 às 13:16 horas.

sábado, 13 de agosto de 2016

Sábado de sol na República de Curitiba

Ainda que a temperatura pela manhã estivesse em apenas 10 graus Celsius, o dia prometia ser muito bom, como realmente foi.

Logo após o café na companhia dos amigos Sergio e Márcia Colodel, nossos hóspedes, preparamos a Sunshine para um dia pela cidade. O casal Colodel já havia partido e o sol  nos chamava para a rua.

O primeiro destino foi na The One Harley-Davidson, que promovia um café-da-manhã especial, em comemoração ao Dia dos Pais.



Enquanto estávamos lá, recebemos uma mensagem do nosso amigo de Curitibanos, Roque Pellizzaro Jr., que estava bem perto, no Distrito 1340. Seguimos para lá e nos encontramos com o casal Roque e Dhebora Pellizzaro, acompanhados dos filhos Maria Eduarda e Luiz Guilherme.


Depois de um agradável bate-papo, nos despedimos dos amigos e fomos almoçar no Paraguassu Grelhados, que no sábado oferece uma deliciosa feijoada.

Com os amigos Adão de Paula e João Zucoloto, proprietários do Paraguassú Grelhados
No início da tarde a temperatura já estava em 24C.
Em resumo: um dia maravilhoso, daqueles em que a gente fica muito feliz por estar vivo, com saúde e em companhia de bons amigos.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Alberto Santos-Dumont

Na onda da abertura das Olimpíadas, um documentário que dá um ponto final na discussão de quem foi o primeiro a voar.