sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A Novela da Duplicação da BR-101 Sul


A partir de amanhã começa oficialmente a temporada de verão 2013. A maioria das escolas encerram suas aulas hoje, a criançada entra em férias e as famílias começam a pegar as estradas.

Milhões de pessoas vão transitar pela Rodovia BR-101 Sul, entre o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná . O trecho de 312 km, entre Curitiba e Florianópolis, foi todo duplicado durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

A duplicação dos 350 km finais, entre Palhoça, SC e Osório, RS, prossegue a passos de tartaruga há mais de 10 anos, com trechos que, siquer, tem projeto definido.

São três os gargalos principais: a ponte de Laguna, o túnel de Formigão, próximo de Tubarão e o do Morro do Cavalo, em Palhoça. A ponte já teve sua construção iniciada e o governo anuncia sua conclusão para 2014; mas o contrato prevê a conclusão só em 2015. Os demais, nem saíram do papel.

Ponte de Laguna, hoje.
Ponte de Laguna, como ficará.
Obras perto de Capivari de Baixo, SC
Desde que me mudei para Santa Catarina, em Janeiro de 2006, nesta época do ano o DNIT anuncia a conclusão da duplicação para meados do ano seguinte.

Este ano, aconteceu de novo. Em matéria publicada na edição de hoje do Diário Catarinense, o orgão federal anuncia que a primeira fase da duplicação da rodovia estará concluída em Julho de 2013.
Claro, só a duplicação das faixas de rolamento. Viadutos de acesso e outras obras de arte, a ponte de Laguna e os dois túneis, só Deus sabe quando ficarão prontos.

Enquanto isso, continuaremos a ver as notícias sobre os acidentes que acontecerão, tenho certeza, nas dezenas de cruzamentos em nível que existem na rodovia. Depois de muitas mortes, o governo federal adotará a solução de ouro: os inevitáveis quebra-molas e radares de 40km/h. E se transformará uma rodovia interestadual numa ruazinha de bairro.

Quebra-molas na BR-487, no Paraná. Falta de viaduto de acesso.
Ou seja, em pleno século 21, o governo federal continua a construir rodovias baseadas em conceitos do século 19. A Estrada União e Indústria, parte da ligação entre Rio de Janeiro a Juiz de Fora, foi construída assim. Mas isto foi no governo do Imperador D.Pedro II e a estrada cruza a serra do mar.

Aqui não há nenhuma serra ou montanha para ser vencida. Só alguns morros e uma lagoa. Coisa que a engenharia chinesa resolveria em alguns meses de trabalho.

A Federação das Industrias de Santa Catarina (Fiesc) divulgou nesta sexta-feira um estudo sobre o andamento da duplicação do trecho Sul da BR-101. De acordo com o relatório, apontou as obras só devem ser concluídas em 2017.

Mas, o que podemos esperar? Os engenheiros rodoviários do nosso país não conseguem nem construir uma ponte e uma rodovia no mesmo nível!

E vamos continuar contabilizando as mortes e feridos que as "excelentes" estradas federais promovem anualmente em Santa Catarina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário